• Jéssica Iancoski

História para Dormir - Beliso Pesseguinho | História Infantil Curta para ouvir | Jéssica Iancoski


Não conheço todo mundo, mas conheço bastante sobre Histórias Infantis e eu sei que é muito difícil encontrar alguém que não teve na infância uma história que guardou com carinho!


A Literatura Infantil tem poderes muito gostosos: o de divertir, de entreter e até o de ajudar a compreender o mundo! Mas você sabia que boas histórias infantis conseguem atingir o coração de adultos sensíveis também?


Histórias pequenas para escutar e para ler


As pessoas crescem e esquecem do poder de ler e escutar histórias - não só na hora de dormir, embora este seja um momento muito especial. Por isto, criamos a série de posts Histórias para Dormir, para que o resgate ao prazer da leitura seja resgatado ou atenuado!


A seguir a História para Dormir - Beliso Pesseguinho esta disponível. É um conto grátis para ler com ilustração, áudio e Podcast de Histórias!


História para Dormir - Beliso Pesseguinho


A História infantil Beliso Pesseguinho conta sobre um menino travesso de pais ausentes! Ele está prestes a ganhar um irmãozinho e decidiu que aprontará a maior de suas travessuras. Qual será?!

Beliso Pesseguinho - História curta para ler e escutar por Jéssica Iancoski



Beliso Pesseguinho Palma da Mão era um moleque muito travesso. Como o nome sugere, ele vivia tomando palmada. Não podendo ser diferente, mesmo a sua mãe sabendo que não era a melhor alternativa. Mas era só porque ele tem temperamento difícil.


Era dia cinco de algum mês, Beliso Pesseguinho Palma da Mão acordou e decidiu que iria aprontar a maior de suas travessuras:


- É hoje! - disse Beliso para si mesmo ao levantar.




A Senhora Pesseguinho Palma da Mão estava grávida, coincidência ou não, o dia da maior travessura de Beliso era também o dia em que estava agendado o parto. Eu não acho que seja coincidência, na verdade. Eu acho que Beliso podia não querer um irmãozinho. Devemos considerar isto, não é nenhum absurdo.


Neste dia, Beliso acordou cinco minutos antes do previsto e se escondeu bem escondido, bem do fundo de um armário. Preciso dizer que não era um armário comum, porque a Sra. Palma da Mão tinha muitas roupas, ela não gostava de repetir os mesmo visual no ano, então, ela tinha um armário só para colocar as roupas que já tinha usado nos últimos 12 meses. Não posso dizer que a Sra. Palma da Mão era uma madame, ela ficaria muito chateada comigo, então, só por isso que eu não digo.


Beliso Pesseguinho Palma da Mão se escondeu bem no fundo do armário, pertinho de um casacão de pele. Mas pode ficar na tranquilidade, não era de animal de verdade. Era pele de mentirinha, sintética, inventada em laboratório. Nenhum animal foi prejudicado diretamente para isso. Beliso se escondeu lá porque sabia que poderiam procurar em qualquer lugar da casa, menos lá. Primeiro porque só ele que cabe no Armário, porque devido a superlotação de roupa, só sendo pequeno para encontrar um espaço lá. E as outras pessoas eram bem maiores que ele e a Sra. Palma da Mão estava grávida, certamente, não caberia mais duas pessoas lá, porque com ele seriam três. E também porque conhecendo a sua mãe, Beliso sabia de sua aversão por roupas repetidas, não poderia levá-la até lá. Só que Beliso não sabia que a bolsa da Sra, Palma da mão já tinha rompido.


Pesseguinho Palma da mão já estava a eternos dez minutos dentro do armário quando ouviu a Dona Naná, a moça que cuidava dele para a sua mãe sair comprar mais roupa, o que era quase todos os dias, passar chamando por ele:


- Beliso Pesseguinho Palma da Mão, você precisa tomar café! Logo o seu irmãozinho chegará e você precisa estar pronto para ir buscá-lo no hospital! Vamos!


Mas Beliso continuou em silêncio no Armário.


- Pesseguinho Palma da Mão. Aonde está você, moleque travesso? A sua mãe não gosta nada quando você apronta uma dessas. Você sabe muito bem o que a Sra. Palma da Mão faz em situações assim. Não sei porque você insiste em viver altas aventuras, moleque.


Beliso Pesseguinho Palma da Mão até sentiu vontade de sair do armário, mas ele tinha certeza de que se ele ficasse lá, ele e a Dona Naná nunca iriam ao hospital. E nunca indo ao Hospital, não teria quem buscasse a Sra. Palma da Mão e muito menos a sua barriga. Nessa hora ele nem ficou bravo com o Sr. Pesseguinho que estava sempre viajando à trabalho - uma desculpa que muitos adultos usam, que quando se torna a maioria do tempo, significa que tem algo de errado. Um dia, talvez, você entenda por experiência própria, mas espero honestamente que não.



Pesseguinho Palma da Mão olhou para o lado e disse para o casacão que estava ao seu lado:


- O seu irmão também nasceu e é por isso que você veio parar aqui?

- Vim parar aqui porque já fui usado uma vez.

- Isso quer dizer que a minha vez tá terminando?

- Não sei, mas aqui não é um lugar tão ruim.

- E o que você fica fazendo aqui?

- Eu fico de boa. Na maioria do tempo fico pensando e esperando que as coisas melhorem.

- E que conclusão você chegou? Você fica esperando o quê?

- Eu fico esperando a minha vez de novo.

- Tá, mas qual conclusão você chegou?

- Sei lá, Beliso. Porque você pergunta tanto?


Depois que Casacão disse esta última frase, Beliso Pesseguinho Palma da Mão, ficou em silêncio. Não sentiu mais vontade de perguntar nada. Esperou mais eternos dois minutos e saiu do armário:


- Estou aqui Dona Naná.

-Aonde você estava Moleque? Vamos, a gente precisa te arrumar.




Nunca ninguém reparou, exceto a Dona Naná por uns dez minutos, que não conseguiu entender muita coisa. A maior travessura que Beliso aprontou começou nesse dia e durou a vida toda, sem nunca ninguém ter nem suspeitado.


Beliso Pesseguinho Palma da Mão cresceu, mas nunca de verdade, se você acha que crescer é parar de dar trabalho. Beliso só deu cada vez mais trabalho, mas era parte da travessura, então tudo bem. Primeiro na escola, depois nas brigas de rua, aí quando ele já era adulto, ele já tinha desistido e passava maior parte do tempo conversando com o Casacão de Pele:


- Entendi o que você disse aquele dia sobre ficar pensando e esperando que as coisas melhorem.

- E elas melhoraram?

- Só pioraram.

- Mas o que você queria que melhorasse?

- Não sei, queria ter tido a minha vez. Você teve a sua por um tempo, pelo menos uma vez no ano. Como se fosse um aniversário. Eu nem isso.

- E é por isso que você apronta tanto?

- Sei lá, Casacão. Por que agora é você que pergunta tanto?





Beliso nunca tomou jeito na vida, mas nunca precisou. Se por uma lado ele não tinha nada, ele nasceu com tudo. A vida normalmente combate falta com excessos, quase que naturalmente.


Diferente do que você pode estar pensando, Beliso foi feliz sim. Quando não estava sendo triste e aprontando, ele estava aprontando e muito sendo feliz. Algumas felicidades são mais estáveis que outras e a de Beliso Pesseguinho Palma da Mão sempre veio em picos de intensidade, o que fazia com que toda a felicidade do mundo se concentrasse em alguns segundos. causando certa instabilidade.


Sempre que alguém tem muito de algo, a falta vem na sequência. Isso vale para a felicidade também.


Perguntas para guiar descoberta de interpretações:


1. Você acha que Beliso gostava de aprontar? Por quê?

2. Na sua opinião, por que Beliso se escondeu no armário?

3. O que você acha da família de Beliso?

4. O que você acha do Casacão?

5. Você sentiu algo com essa história?

Lembre-se: não existe resposta certa ou errada, quando o assunto é Literatura. No máximo, opiniões e interpretações diferentes!


Procure entender o que a história desperta e não o que ela significa!

Essa história fez você sentir algo? Compartilhe nos comentários!

Apoie este projeto compartilhando o blog com os seus amigos e curtindo o post!

Se INSCREVA na nossa newsletter!


Siga @Euiancoski nas redes sociais!

www.instagram.com/euiancoski

http://twitter.com/euiancoski

https://soundcloud.com/user-925659011


E se inscreva no nosso canal no YouTube!

https://www.youtube.com/channel/UCFs5WmyZ6IJhZvxGCwgq8dA?sub_confirmation=1

  • Spotify Euiancoski
  • Instagram Euiancoski
  • YouTube Euiancoski

© 2020 por Jéssica Iancoski. 

Contato

jessicaiancoski@gmail.com

EU-i | CNPJ:33.066.546/0001-02 | Curitiba, PR