• Jéssica Iancoski

A Onça Doente MONTEIRO LOBATO | Adaptação CONTO Infantil

As histórias infantis além de propiciarem um momento de diversão mágico e ajudarem no desenvolvimento, também servem para aproximar as pessoas.


Elas fortalecem os vínculos! Sejam de mãe e/ou pai para filho, ou entre amigos, irmãos e muitos outros!


Compartilhar uma história é criar novas histórias para contar com quem se ama. É a escolha de viverem momentos mágicos juntos, lado a lado.


Não só as crianças, mas todo mundo ama uma história quando ela é boa! Mas se for uma história para dormir que ajude na hora do sono.... Então, nossa! Sensacional =P


8 Motivos para ler Histórias de Literatura Infantil


História Infantil em Áudio


Uma História infantil em Áudio também pode ser uma atividade de relaxamento muito poderosa.


Desde sempre, no início da espécie humana, a contação de histórias está muito presente, sobretudo um pouco antes da hora de dormir.


Isto acontece porque ouvir histórias ajuda o pensamento a se desvincular da realidade, fazendo com que adultos e crianças vão para o seu próprio mundo imagético.


E adivinha?


Quando ouvimos histórias, somos transportados para uma realidade onírica - a qual nos ajuda a embalar o sono!


Há varias explicações para isso, mas a minha favorita é que ao suspender a realidade, pelo tempo da história, no mínimo, nossos pensamentos vagam procurando por símbolos que possam o ajudar a lidar com o mundo real mais tarde.


E isto é algo muito parecido que também acontece com os nossos sonhos enquanto dormimos!


Por isto, histórias são uma ótima porta de entrada para os sonhos.


Projeto de contos infantis - Podcast Histórias para Dormir


O Podcast Histórias para Dormir é um projeto de contos infantis que está crescendo!


Um dos principais objetivos é trazer histórias novas, muito divertidas e de qualidade para todo mundo!


Nós acreditamos que histórias infantis podem ser apreciadas por todos, quando apresentam elementos universais que servem tanto para adultos quanto para crianças.


Por isto, procuramos nos esforçar para criar contos infantis pequenos de qualidade e que divirtam.


Para isto, por entender que as pessoas são diferentes, estamos semanalmente lançando histórias que tratam de assuntos diferentes e disponibilizando-as em vários formatos!


Aqui neste post, você vai conhecer uma história infantil ilustrada, com texto e opção de áudio.


Mas tem mais!


Nossos contos infantis são pequenos e tem muita diversão com dublagem de vozes!


Também estamos disponíveis no formato podcast nos principais canais da internet!


Que tal ouvir o nosso podcast de histórias no Spotiffy?


Podcast História para Dormir - Contos infantis com música


Também estamos disponível em outros canais.

Deezer | iTunes | CastBox | YouTube | Spreaker


A Onça Doente - Monteiro Lobado: Adaptação História para Dormir


Monteiro Lobato escreveu muitas fábulas infantis! Uma delas se chama "A Onça doente".


É uma história curtinha de mais ou menos dois minutos de duração.


Como toda história divertida, ela desperta sentimentos e reflexões em quem a conhece.


Monteiro Lobato foi um escritor muito importante do Brasil, ele é um dos principais responsáveis por trazer a Literatura Infantil para o Brasil.


Além disso, foi ele que criou um dos livros infantis favoritos de todos pelas pessoas: As Reinações de Narizinho.


Como não se apaixonar pela Boneca de Pano Emília e pelas aventuras de Pedrinho, não é mesmo?


Pensando em homenagear Monteiro Lobato, resolvemos criar uma nova versão para a Fábula A Onça Doente.


Para isto, com muita licença literária, nós acrescentamos alguns fatos para a história, expandindo-a e a transformando em um conto infantil!


Nós fizemos algumas ilustrações também!


Mas calma!


A nossa adaptação não alterou o sentido da história e nem a moral da fábula.


Que tal conhecer a fábula original antes de conferir a nossa versão?


Em nossa versão, Monteiro é uma Onça muito esperta. Um dia, caçando ela se machuca e precisa elaborar um plano para não morrer de fome.

Monteiro Lobato e Jéssica Iancoski - A Onça Doente: versão conto infantil


Monteiro era uma onça muito esperta. Todos os animais da floresta tinham medo dela, pois além de esperta, ela era também muito veloz. Sempre que a onça Monteiro tinha fome, ela saia da sua gruta para caçar:


- Hmmmm, o que será que eu vou comer hoje? Um saboroso veado? Ou será que eu estou com fome de capivara? Mas se bem que podia ser uma cutia - elas são deliciosas -um jabuti ou um porco do mato também não cairia nada mal! Nhamm nhaamm, eu estou com tanta fome…

E tendo decidido o que comeria, Monteiro saia em busca da sua refeição. Se ela não estivesse com tanta fome e quisesse comer uma cutia bem pequenininha, monteiro corria pela floresta procurando tocas ou ocos de pau. Mas se tivesse com muita fome, já ia logo nos campos procurar um enorme Veado, abaixando-se pela mata. Se fosse fome de capivara, de porco do mato ou qualquer outro animal, não era diferente, logo a onça Monteiro se preparava e era certeira em todo ataque que fazia.


Um certo dia, a Onça Monteiro decidiu que estava com fome de macaco. Levantou-se em sua gruta, esticou-se inteira e saiu para a caçada.


- Ihuuuul, Macacos? Tô com fome de vocês - anunciou a onça.


Ouvindo isso, os macacos que não eram menos espertos, falaram entre si:


- Uh uh Ah Ah! Chegou a nossa vez. Vamos preparar uma armadilha para quando a onça chegar! Nenhum dos macacos irá morrer hoje. Então, precisamos encontrar uma árvore isolada na floresta. Encontrando a árvore, um de vocês deve ficar mais embaixo e servir de isca para a Onça. Já os outros macacos devem estar mais em cima, na copa da árvore, silenciosos e escondidos - disse o macaco velho.


- Uh uh Ah Ah! Mas como isso funcionará? - perguntou um dos macacos.


- O macaco que servir de isca precisa estar alerta, o plano é que ele salte em direção ao nada. A onça, por estar acostumada, vai achar que existe outra árvore do lado para se apoiar, quando saltar para tentar pegar o macaco. Mas ao encontrarmos uma árvore isolada, a onça não irá reparar que não existem outras árvores e assim caíra no chão. Para que o macaco isca não caia no chão também, os macacos que estiverem na copa da árvore, devem estar preparados para lançarem um cipó, no momento exato que ele saltar. Assim, o macaco poderá se segurar e onça despencará no chão, se machucando! Uh uh Ah Ah Ah Ah...


Os macacos saíram em busca da árvore que procuravam e ao encontrá-la preparam o cenário da armadilha.


Então, a onça chegou, fincou suas garras afiadas no tronco da árvore e começou a subir. Quando chegou na altura exata para dar o pulo e capturar o macaco que servia de isca, ele pulou e na hora exata os macacos da copa lançaram o cipó, como foi o combinado.


A onça não percebeu a falta de árvores ao redor e não conseguiu se apoiar em nada, caindo no chão e ficando seriamente ferida.


Os macacos comemoram em silêncio, pois não quiseram irritar ainda mais a onça.


A onça muito tonta, saiu mancando em direção a sua gruta. Ela realmente estava machucada.


Os dias foram passando e como a onça não podia caçar, ela estava literalmente morrendo de fome.


Passado mais algum tempo, uma irara desavisada entrou na gruta da onça que se sentindo um pouco burra, por ter caído na armadilha dos macacos, imaginou um plano:


- Hmmmm, Já sei! Por mais que eu esteja com fome, eu deveria deixar essa irara ir - pensou a onça - Ei, comadre irara - disse ela - corra ao mundo e diga à bicharada que estou a beira da morte e exijo que venham me visitar!


Então, a irara se sentindo sortuda, por não ter sido comida pela onça, achou que devia este favor a comadre e saiu dando o recado para os outros animais - os quais, um a um, começaram a visitar a onça.


Fora os macacos que resolveram ficar cada qual no seu galho.


O primeiro foi o veado, por estar mais perto, uns dias depois a capivara, então veio a cutia, seguida do porco do mato… O jabuti era o próximo, chegando um tempo depois, devido a sua sorrateira calma.



Além de calmo, o jabuti, por ir devagar e ter mais tempo para observar as coisas, nos seus mínimos detalhes, lembrou-se de olhar para o chão enquanto andava em direção a gruta.


Como o Jabuti só encontrou rastros de animais que entraram lá e não conseguiu ver nenhum rastro de animal que saia, se sentiu desconfiado e se valendo de uma aparente ingenuidade, pensou:


– Hum! … Parece que nesta casa quem entra não sai. Então, neste caso, o melhor é rezar por nossa querida onça doente, ao invés de visitá-la…


E o Jabuti foi um dos únicos que se salvou.

Perguntas para Guiar Descoberta de Interpretações


1. Sobre o que você acha que é essa história?

2. O que você achou do plano dos Macacos?

3. E do plano da Onça? Se você fosse a Onça com fome, teria comido a Irara?

4. Você teria pressa para visitar alguém que pode te devorar?

5. Por que você acha que o Jabuti resolveu não visitar a onça? Será que é ruim chegar por último?

6. Qual você acha que é moral dessa fábula?


Lembre-se: não existe resposta certa ou errada, quando o assunto é Literatura. No máximo, opiniões e interpretações diferentes!


Procure entender o que a história desperta e não o que ela significa!


O que achou dessa versão da história? Conte para a gente!

Que tal ouvir a fábula original do Monteiro Lobato? :)


Se quiser apoiar o projeto é fácil, curta o post, comente e compartilhe com os amigos!


Se inscreva na nossa Newsletter!


Siga @Euiancoski nas redes sociais!

www.instagram.com/euiancoski

http://twitter.com/euiancoski

https://soundcloud.com/euiancoski


E se inscreva no nosso canal no YouTube!

https://www.youtube.com/channel/UCFs5WmyZ6IJhZvxGCwgq8dA?sub_confirmation=1

Nossos Podcasts de história infantil estão disponíveis lá também!

  • Spotify Euiancoski
  • Instagram Euiancoski
  • YouTube Euiancoski

© 2020 por Jéssica Iancoski. 

Contato

jessicaiancoski@gmail.com

EU-i | CNPJ:33.066.546/0001-02 | Curitiba, PR