• Jéssica Iancoski

Alberto Arecchi - Poema Chuva de Diamantes | Nova Poesia

Poema de Alberto Arecchi Chuva de Diamantes.


Alberto Arecchi (1947) é um arquiteto italiano, mora na cidade de Pavia.


Tem uma longa experiência em projetos de cooperação para o desenvolvimento em vários países africanos como especialista em tecnologias apropriadas para o planejamento de hábitat.


Presidente da Associação Cultural Liutprand, que edita estudos sobre a história local e as tradições, sem descurar as relações inter-culturais (https://www.liutprand.it).


Escreve contos e poemas em em italiano, português, espanhol e francês.


►► Apoie o projeto! Compre o meu livro de Poemas Escolhidos por apenas 5,99 ou leia de graça no Kindle Unlimited.

https://www.amazon.com.br/dp/B08JPRLYGT/

Chuva de Diamantes (Nova Poesia: Alberto Arecchi/Toma Aí Um Poema)

Poema: Chuva de Diamantes

Autor: Alberto Arecchi

Voz: Jéssica Iancoski | @euiancoski


Use #tomaaiumpoema

Siga @tomaaiumpoema

Chuva de Diamantes


Gotas duras como diamantes.

Onde bateram, deixaram a marca.

Vidros das janelas quebrados,

telhados esburacados,

guarda-chuvas rachados

como peneiras.

Os telhados dos carros ficavam

transformados em enormes dedais.

As folhas das árvores foram estripadas

como se foram golpeadas

por tiros de metralhadoras.

Um vento forte surgiu,

levantando de todos os lados

os fragmentos do que

tinha sido a cidade.

Folhas de cadernos voavam

com registros fiscais,

como papagaios leves,

num enorme furação,

levantadas do chão até às nuvens.

Parecia o fim do mundo.

Neste ponto, você esperará

que o despejo da lixeira

se transformasse em algo bonito

ou algo terrível.

Esperará a bolha de esgoto explodir,

transformando-se em um dragão monstruoso,

ou rosas e flores desabrochar,

tremulando em música celestial

nas encostas da colina artificial.

Nada disso, queridos amigos.

Nem a chuva de diamantes

nem o vento libertador

que rasgou a cidade em pedaços

não tiveram efeito nenhum

na colina encharcada de odores.

Maciça, elefantina, fedorenta,

a lixeira resistiu a tudo:

permaneceu, triste e sombria,

para referência futura.

Aqui a posteridade

vai realizar escavações

arqueológicas,

para reconstruir nossa civilização.

Chuva de Diamantes (Nova Poesia: Alberto Arecchi/Toma Aí Um Poema)

Poesia Declamada no YouTube =P

Conheça o Podcast Isto não são só Poesias: ►►https://open.spotify.com/show/163N38GrKyTBAfFN2nW1hU SIGA NO INSTAGRAM http://instagram.com/euiancoski #poesiabrasileira #novapoesia #albertoarecchi

  • Spotify Euiancoski
  • Instagram Euiancoski
  • YouTube Euiancoski

© 2020 por Jéssica Iancoski. 

Contato

jessicaiancoski@gmail.com

EU-i | CNPJ:33.066.546/0001-02 | Curitiba, PR