• Jéssica Iancoski

A Lenda da Mandioca - Como Nasceu a Primeira | Folclore Brasileiro | História infantil em áudio

A Lenda Como Nasceu a Primeira Mandioca (ou A Lenda da Mandioca) é uma história do folclore brasileiro, com origem tupi-guarani.

Conta sobre Mani, uma menina que não era amada pelo pai.

Está lenda é uma história indígena e é também uma explicação de como a mandioca surgiu


►► Conheça o Podcast Histórias para Dormir: https://open.spotify.com/show/4dj4rmlTQt3wfocgvgKtYz?si=votsIzHoQomFgdoNy3PNBA



História Infantil em Áudio: Como Nasceu a Primeira Mandioca


Há muito e muito tempo atrás, em uma comunidade, dois indígenas se casaram: Atiolô e Zatiamarê.


Um tempo depois do casamento, Atiolô ficou grávida de uma menina e Zatiamarê ficou bravo porque ele queria um menino.


- Quero um Menino, Atiôlo. E quero que ele cresça forte como o pai, que casse como o pai e que se pinte com urucum para ficar tão bonito quanto o pai.


Quando a menina nasceu, Zatiamarê não só não gostou, como também não reconheceu a menina como sua filha.


- Essa menina para mim é vento, Atiolô. Eu não pedi ela, eu pedi um menino. E é por isto que eu não vou dar um nome para ela, não vou passar tempo com ela e não vou sequer conversar com ela.


- Mas, Zatiamarê, mesmo que você não queria, ela continua sendo a sua filha. Você não pode simplesmente ignorar que ela existe. Você é o pai dela e ela precisa de você.


- Dane-se. Procure o Cacique se não gostar, ele vai me dar razão porque sou homem como ele.


A menina ia crescendo, sem nome e sem o amor do pai. E Atiôlo vendo que a situação não ia mudar, por conta própria, resolveu chamar a menina de Mani.


Zatiamarê continuava sem se importar ou conversar com a menina. E quando Mani perguntava algo para ele… NOSSA! Ele só a respondia um um mísero assobio.


- Pai, por que o céu existe?


- FIOFIOFIO


- Pai, por que a noite apareceu?


- FIOFIOFIO.


- Pai, você gosta de mim?


- FIOFIOFIO


Não importava o que Mani perguntava ou o quanto ela tentava. Zatiamarê sempre respondia “FIOFIOFIO”. E mesmo com o passar do tempo, a relação de Zatiamarê com Mani não melhorava. Nada mudava, continuava tudo igual e triste.


Até que Atiolô ficou grávida novamente.


- Se essa criança não for um homem como o Pai, eu juro, que nem por assobio vou conversar com ela. Posso até colocar em cima de uma árvore para virar comida de passarinho, Atiolô, eu juro.


Mas para a sorte de todos, nasceu Tarumã, um lindo menininho.


E ao contrário de Mani, Tarumã era muito amado pelo pai. Zatiamarê conversava conversas bem cumpridas com ele, carregava-o nas costas para lá e pra cá e até lhe contava histórias.


E Mani ficava vendo tudo aquilo, sem entender, até que não aguentou mais e morreu de tristeza.


Quando Mani foi enterrada, Atiolô chorou muito e por vários dias consecutivos. Alias, Atiôlo chorou tanto, mas tanto que regou o solo tão profundamente que do corpo de Mani nasceu a Mandioca.


Escute esta lenda indígena no YouTube!


Clique no link para se INSCREVER no nosso canal!

►►► https://www.youtube.com/channel/UCFs5WmyZ6IJhZvxGCwgq8dA?sub_confirmation=1

SIGA NO INSTAGRAM

http://instagram.com/euiancoski

http://instagram.com/podcast.historias

  • Spotify Euiancoski
  • Instagram Euiancoski
  • YouTube Euiancoski

© 2020 por Jéssica Iancoski. 

Contato

jessicaiancoski@gmail.com

EU-i | CNPJ:33.066.546/0001-02 | Curitiba, PR